Trabalhar co..." /> A Arte de Trabalhar com Pessoas - MB Notícias


Sem categoria

Publicado em 9 de dezembro de 2015 | Por Rafael Grassi

0

A Arte de Trabalhar com Pessoas

Você gosta de gente?

Qualquer “tipo” de gente?

Trabalhar com pessoas é uma arte e quem gosta de atuar com pessoas deve entender que trabalhar com seres humanos é uma arte. Deve estar ciente que irá se deparar com qualquer tipo de comportamento humano, porque se realmente você gosta de trabalhar com pessoas, não poderá escolher o comportamento daquele que irá se relacionar com você, mesmo que por um mínimo período de tempo.

Vou listar abaixo três princípios que penso serem fundamentais para apoiá-lo em suas relações interpessoais:

Princípio 1: AUTOCONHECIMENTO

O meu grande amigo e empresário Josué Silveira adora citar parte de um poema de Fernando Pessoas que diz: “Para viver a dois, antes, é necessário ser um”.

Nas relações interpessoais é fundamental que você se conheça integralmente, para isso, é necessário o autoconhecimento. Quanto de 0 a 10 você se conhece?

Quais são seus pontos fortes?

Não vamos usar aqui “pontos fracos”, mas sim pontos de melhoria. Quais são seus pontos de melhoria?

O outro incomoda você ou você se incomoda com o outro? Pense nisso!

Princípio 2: EMPATIA

A arte de se colocar no lugar do outro. Você se coloca no lugar do outro em uma relação interpessoal? Quanto realmente você faz isso?

Na maioria das vezes não sabemos as trilhas/caminhos/estradas que a outra pessoa percorreu para no diálogo responder “assim ou assado”. Não sabemos de sua infância, de sua adolescência e do seu presente. O psicólogo Carl Rogers diz sobre a empatia: “Ser empático é ver o mundo com os olhos do outro e não ver o nosso mundo refletido nos olhos dele”.

Princípio 3: CONFLITO

Os conflitos são parte do crescimento de uma equipe. Pode ser que, a partir deles, haja a saída da zona de conforto, mas antes de citar o que é conflito vamos esclarecer o confronto, pois às vezes ele não é compreendido.

Confronto é o que uma pessoa pensa sobre determinado tema e em hipótese alguma respeita o ponto de vista do outro. Já o conflito tem outro significado: é quando uma pessoa verbaliza o seu ponto de vista, o outro não concorda, porém respeita fraternalmente o ponto de vista da outra parte.

Por fim, se faz sentido para você atuar entre pessoas, entregue o que você tem de melhor.

 


Sobre o autor

Rafael Grassi é gaúcho, tchê, mas não é bairrista. Master Coach, Practitioner em PNL e Diretor Executivo da Ven-Ser Coaching & Training, é um eterno apaixonado por H. D. Thoreau e Pablo Neruda. Pós-graduado em Educação Para a Paz pela PUCRS, pratica rafting e trekking, além de atuar como Master Coach, Treinador e Consultor no Centro de Desenvolvimento Humano (CEREUS), Central Sul Raft e Mais Criativa Consultoria e Treinamento. Ministra palestras e workshops nas áreas de Coaching, Aprendizagem Cooperativa e Gestão de Equipes. Faz do amor seu ecotelhado. Professor de Relações Humanas e Orientação Profissional da Escola de Ensino Médio Martinho Lutero, conduz as pessoas a realizarem seus sonhos, metas e objetivos. Profissional com mais de 15 anos de experiência em programas de Desenvolvimento Humano. Colunista do portal Meu Bairro na área de Coaching quinzenalmente, às sextas-feiras.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Volta para o início ↑