fbpx


Transito

Publicado em 20 de fevereiro de 2019 | Por Redação Meu Bairro

0

EPTC aprova mais uma empresa para aluguel de bikes e patinetes

Mais uma empresa de patinetes e bicicletas passa a operar em Porto Alegre nesta quarta-feira, 20. A startup brasileira de soluções de mobilidade urbana Yellow foi autorizada pela Prefeitura a iniciar projeto-piloto de compartilhamento de bikes no sistema dockless (sem estação para retirada e devolução)  e patinetes elétricos. A região entre os bairros Moinhos de Vento e Cidade Baixa recebe inicialmente a operação. O preço é de R$ 2 a cada 20 minutos para as bikes e R$ 3 o desbloqueio + R$ 0,50 a cada minuto de uso do patinete.

Bikes – As bicicletas estarão disponíveis em 30 pontos privados parceiros e podem ser usadas de segunda a segunda, 24h por dia. Após o uso podem ser estacionadas dentro da área de atuação da Yellow na cidade, em locais onde o estacionamento de bicicletas é permitido (paraciclos e vagas comum de veículos, perpendicularmente ao sentido da via).
Patinetes – Já os patinetes estarão disponíveis todos os dias da semana, das 7 às 21h, em um dos 15 pontos parceiros. A Yellow disponibiliza todas as manhãs os patinetes nesses locais; já o usuário pode encerrar a corrida em um desses pontos ou em qualquer local da área de atendimento, contanto que tome cuidado para não atrapalhar o fluxo de pedestres. No final do dia, a empresa recolhe as bikes e os patinetes rastreados via GPS, faz a recarga, manutenção e limpeza. E na manhã seguinte, os disponibiliza novamente para uso nos pontos privados.
Os créditos para uso das bicicletas e patinetes poderão ser comprados com cartão de crédito via app ou em dinheiro em bancas de jornal e lojas, entre outros estabelecimentos parceiros espalhados pela cidade, como lanchonetes, que vão receber o valor em espécie e transferir, na hora, o montante para a conta do usuário no aplicativo, como já acontece com as recargas de celular.
Para a segurança, é recomendado que os usuários façam uso de capacete tanto nos patinetes quanto nas bicicletas, que utilizem apenas as ciclovias e ciclofaixas (até o limite de 20 km/h) e, se necessário, as calçadas (neste caso, o limite é de 6 km/h), e que observem o que determina o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) sempre com respeito e a prioridade total aos pedestres.


Sobre o autor

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Volta para o início ↑