A comunidade do Bairro Tristeza terá de esperar mais alguns meses p..." /> Reforma do Posto da Tristeza emperra na burocracia - Portal Meu Bairro


Notícias

Publicado em 15 de maio de 2012 | Por Redação Meu Bairro

Reforma do Posto da Tristeza emperra na burocracia

A comunidade do Bairro Tristeza terá de esperar mais alguns meses pela reforma do seu Posto de Saúde. Com início previsto para o mês de maio, – veja matéria da Revista Meu Bairro Tristeza – o início das obras agora emperra em uma questão burocrática. As obras, que devem durar três meses, irão beneficiar cerca de 30 mil moradores.

Luciano Oliveira, Coordenador de Projetos Especiais da Secretaria de Saúde, explica que a reforma ainda não foi liberada porque a Procuradoria Geral do Município ainda não aprovou a licitação. “Nós chegamos a ter o edital pronto para ser veiculado nos jornais da cidade, mas no último minuto eles pediram para rever um item e cancelamos”, explica. Agora a expectativa é de que as obras iniciem no mês de junho.

Luciano Oliveira, Coordenador de Projetos Especiais da Secretaria de Saúde.

Para Luciano, o principal motivo da demora está em uma nova estratégia de licitação. Antes, as licitações eram feitas de maneira individual, cada posto tinha uma licitação para suas obras. Mas, como trinta postos de saúde necessitam de melhorias, o Governo Municipal decidiu por fazer apenas uma licitação para todas as obras. “Isso, para a Procuradoria do Município, é complicado. E nós também estamos perdendo certo tempo agora, mas vamos ganhar depois”, explica. Luciano também lembra que o custo para as obras será menor com apenas uma licitação. De acordo com o Coordenador, esse formato de licitação é inédito na Capital. “Se a gente quebrar esse paradigma, nós teremos um ganho no futuro”.

As melhorias planejadas para a obra vão desde a questão estrutural até melhorias como a colocação de climatizadores nas salas de espera. A partir do momento que a procuradoria aprovar, e o edital for publicado, o restante do processo para a escolha da empresa responsável pelas obras deve demorar em torno de 45 dias. “Declarando a empresa vencedora teremos mais uns trinta dias para que ela possa iniciar as obras”, explica Luciano Oliveira que também conclui: “Nós queremos para junho estar com isso pronto. Estamos fazendo um mutirão aqui na Secretaria para que isso seja possível. Se não der, a gente vai se esforçar para que ainda aconteça em agosto”, finaliza.

Uma última questão também deve ser resolvida nos próximos dias. Há uma dúvida sobre o local para onde serão encaminhadas as pessoas que até então iam ao Posto de Saúde da Tristeza durante o período em que ele estiver em obras. A primeira opção é encaminhar às pessoas até o Posto de Saúde do Camaquã, outra é realocar funcionários e pacientes na Igreja que fica ao lado do Posto. Para Luciano Oliveira, a primeira opção é a mais acertada. “Eu entendo que a comunidade possa ficar sem o posto de saúde ali. Durante esses três meses eles poderiam se deslocar até o Posto do Camaquã. Eu acho que é mais fácil do que ficar se acertando juridicamente com a Igreja”, justifica.

Luciano termina enfatizando a vontade da Secretaria de Saúde em realizar essa obra. “Existe uma vontade de querer fazer, mas como o dinheiro é publico tem que ser tudo bem transparente, tudo muito bem explicado, para que depois, quando o cidadão quiser saber o que quer que seja, ele possa ser informado”, conclui.

Tags: , , , , ,


Sobre o autor

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



Volta para o início ↑