Tristeza trenzinho da tristeza

Publicado em 4 de julho de 2018 | por Juliana de Brites

0

Carlos Barbosa diz ter autorização para uso do Trenzinho da Tristeza

Foto: Flávio Antônio Ballejo

A disputa para a cessão do Trenzinho da Tristeza teve novos desdobramentos. De acordo com a prefeitura de Carlos Barbosa, o Poder Executivo tem agora permissão para utilizar o equipamento no município da serra. Mas, de acordo com o Centro Comunitário de Desenvolvimento da Tristeza, Pedra Redonda, Vilas Conceição e Assunção (CCD), a locomotiva tem um parecer favorável do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) para retornar a Porto Alegre.

O Trenzinho da Tristeza fazia a rota da Ferrovia do Riacho, único caso de ferrovia municipal no Brasil de 1900 a 1936 e desempenhou importante papel no desenvolvimento da Capital dos Gaúchos. Importada da Alemanha, a locomotiva a vapor, de 65 cavalos, recebeu o nome de Porto Alegre e é a única remanescente desta ferrovia. Após ser desativada, esteve no Parque Farroupilha, no Parque Saint’Hilaire, no Museu do Carvão em Arroio dos Ratos e atualmente em Carlos Barbosa.

O que diz Carlos Barbosa

Em entrevista ao Meu Bairro, o vice-prefeito do município serrano, Roberto Da-Fré, disse que recebeu, no último dia 12, um ofício da SAETEC junto à cópia de publicação no Diário Oficial da União do dia anterior. O ofício, nº 19696/2018 – SAETEC – CGPF/CGPF/DIF/DNIT SEDE-DNIT, informa o termo de cessão de direito de uso por vinte anos prorrogáveis. “Agora, de posse desses documentos, poderemos, legalmente, fazer qualquer intervenção nos equipamentos. Já temos um projeto de parceria muito bem encaminhado com uma empresa. Essa será a responsável pela reforma da locomotiva e dos vagões que, num primeiro momento, serão expostos na entrada do nosso município, junto à plataforma de embarque/desembarque de passageiros da Maria Fumaça”, informou o vice-prefeito.

De fato, no Diário Oficial da União do dia 11 de junho há um processo no qual o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), através do Diretor de Infraestrutura Ferroviária, Charles Magno Nogueira Beniz cede à Prefeitura Municipal de Carlos Barbosa. “Podendo ser prorrogado por iguais e sucessivos períodos, mediante a lavratura do respectivo Termo Aditivo, desde que mantido o objeto deste Termo.”. Veja o documento na íntegra

O que diz o CCD

Jacqueline Custódio é presidente do CCD, entidade que estava responsável pela transferência e restauração da maria-fumaça para a praça Comendador Souza Gomes. De acordo com ela, já havia um parecer favorável à Porto Alegre assinado pelo IPHAN e o CCD já possui os documentos necessário para solicitar o tombamento da locomotiva. Dentre os documentos, o histórico do trem e a importância cultural dele para a região. “Com tudo isso, temos uma espécie de certidão de nascimento que comprova que a locomotiva pertece à Porto Alegre”, diz.

12 - Locomotiva

“O Ministério Público Federal vai mover uma ação civil pública contra Carlos Barbosa, pois o município é responsável pela depredação do trem. Essa ação pede a volta da locomotiva para Porto Alegre para que ele seja restaurado”, afirmou. Em visita feita ao município anteriormente, Jacqueline relata que a maria-fumaça está em más condições, enferrujada e vandalizada. Uma reunião com o então prefeito de Carlos Barbosa, Fernando Xavier, tratou sobre o retorno do trem para a capital. “O município não tinha interesse em ficar com a maria-fumaça”, relata.

 

Leia mais:

Trenzinho da Tristeza voltará à capital aos cuidados do CCD
Trenzinho da Tristeza – a locomotiva da Ferrovia do Riacho
Lançamento de livro e história da ferrovia no Paseo


Sobre @ colunista

é jornalista formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).




Comente no Facebook


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Início ↑

  • Comp-3


  • Anúncio Google

  • Anúncio Google

  • pequena