Tristeza 24 - Bonde_Meu Bairro Porto Alegre

Publicado em 24 de janeiro de 2017 | por Redação Meu Bairro

2

Bonde da Otto Niemeyer se muda para a Adesbam

Depois de quase duas décadas o bonde da Otto Niemeyer está em endereço novo. A convite da Adesbam agora o veículo, de propriedade de Zilka e Angela Dornelas Ponsi (mãe e filha), está hospedado na Rua Dr. Mário Totta, 108, sede da Adesbam.

Foram muitos anos em que curiosos olhavam para o Atelier do Bonde e ficavam felizes com a lembrança de uma parte da história de Porto Alegre. Ângela explica, contudo, que nos últimos anos a manutenção do equipamento estava sendo difícil em função do custo do aluguel, do espaço pequeno, da dificuldade para estacionar, entre outras questões. “Decidimos que já estava passando da hora de mudar para um novo local, mais amplo e com um potencial cultural maior, preferencialmente na Zona Sul.”, explica. Um dos entraves para a mudança do bonde era a dificuldade para transportá-lo e a localização do terreno.

Parceria com a Adesbam

Ângela, que já tinha realizado trabalhos anteriores com a Adesbam, sugeriu então em 2016 uma parceria com a associação. A ideia é montar uma agenda cultural no equipamento com a presença de artistas e educadores. O contrato de parceria cultural compreende a cedência do espaço por parte da Adesbam e em troca uma agenda cultural deve ser mantida no local. “Os sócios também poderão utilizar o bonde para outros fins, seguindo uma agenda de atividades definida com a associação. Se der certo, como já está dando, pretendemos ficar para sempre.”, finaliza.

24 - bonde

Confira a entrevista completa:
– Como se deu essa mudança? Foi um convite da Adesbam?

O Bonde permaneceu na Otto por quase duas décadas. O imóvel é alugado, e, por vários motivos – custo do aluguel, espaço pequeno, dificuldade para estacionar, entre outras questões – decidimos que já estava passando da hora de mudar para um novo local, mais amplo e com um potencial cultural maior, preferencialmente na Zona Sul. Planejávamos retirar o bonde há bastante tempo; contudo, em especial, a dificuldade para transportá-lo e a localização do terreno (ao lado da casa da minha mãe), foi nos fazendo ficar todo esse tempo.

O ano passado foi complicado: chegamos a ponto de vender o bonde, pois não havia outro terreno com espaço para estacioná-lo. Surgiram algumas pessoas interessadas em comprar ou em montar parceria, mas não chegamos o concluir o negócio. Essas negociações duraram cerca de um ano. Ainda no final de 2016, procurei a Adesbam e fiz a proposta para levar o bonde e para montar uma agenda cultural; logo em seguida, fechamos o contrato.

Eu presto serviços de arquitetura para a associação desde 2006. Em 2007, meu marido e eu fizemos a revitalização da área recreativa da Adesbam, projetamos a piscina semiolímpica com sauna e vestiários e fizemos a ampliação do Galpão Crioulo, além de acompanhar as obras de acústica. Fizemos também projetos paisagísticos, cuja execução se dará em breve.

Além disso, atualmente, somos sócios e frequentadores assíduos da associação e também alunos de natação. Sempre tivemos um relacionamento cordial e produtivo com os membros da diretoria e com os funcionários, frequentemente conversamos sobre projetos e ideias a fim de melhorar as instalações e a programação para os associados e para o público em geral. Acredito que esses foram os principais motivos que levaram a Adesbam a querer montar uma parceria conosco.

– Vocês pretendem manter atividades artísticas no teu atelier?

De 2009 a 2014, O Atelier do Bonde manteve na Av. Otto Niemeyer uma agenda de atividades culturais e educacionais. A programação incluía aulas de arte e de artesanto, workshops, palestras, edição de livros, exposições de telas, de desenhos, de poemas e de fotografias, apresentação de música, de teatro e de circo, saraus de literatura e de música, feiras de artesanato e bazar, além das atividades educativas desenvolvidas com ONGs e com escolas. 

Pretendemos em 2017, e em parceria com a Adesbam, ampliar essa programação cultural. A ideia é trazer artistas e educadores de fora para compartilhar o espaço e trocar experiências. Para tanto, buscamos aproximar entidades educacionais, sociais e culturais para desenvolver projetos, pois acreditamos que trabalhar para a coletividade é a nossa maior recompensa.

– O bonde ficará quanto tempo na Adesbam?

Assinamos um contrato de Parceria Cultural com prazo definido, pelo qual a Adesbam nos cede o espaço em troca de mantermos uma agenda cultural e realizarmos cursos e eventos com desconto para os associados. Os sócios também poderão utilizar o bonde para outros fins, seguindo uma agenda de atividades definida com a associação. Se der certo, como já está dando, pretendemos ficar para sempre.

– Como se dará a parceria a partir de agora? Vocês irão participar do projeto dele na Adesbam?

Em 2010, organizamos uma assembleia para criação da Associação Histórica, Artística e Cultural do Atelier do Bonde – HACAB, que tem como missão a conscientização histórica e socioambiental e a difusão e integração artística e cultural. A HACAB não foi registrada, porém, tendo em vista a parceria com a Adesbam, uma associação que é cultural, isso não nos parece mais necessário.

Minha mãe e eu continuaremos proprietárias do Bonde, e a Adesbam é a entidade parceira que o adotou e resolveu apostar nos projetos socioculturais já existentes no ateliê, além de abraçar e apoiar os projetos futuros. O mais importante de tudo é que a diretoria da entidade entende a importância de manter o bonde como um patrimônio histórico da cidade, cujo valor sentimental – de uma geração que ainda hoje guarda com carinho as viagens de bonde pela cidade de Porto Alegre – é sempre presente. De fato, os moradores mais antigos nos procuram para visitar o veículo e para matar a saudade de uma época rica em romantismo e poesia, que ainda se mantém viva na memória de todos.

Com efeito, temos muitos projetos para desenvolver atividades culturais e educativas com escolas, com entidades de áreas afins e com a comunidade. Também está em nossos planos para 2017 a edição de um livro histórico e a inauguração do Memorial da Adesbam, que completou 104 anos. Nossa agenda já comporta e edição de outros três livros até o final do ano, dois quais dois deles sou ilustradora e do outro sou também autora. Tenho trabalhado com edição de livros e pretendo trazer grupos literários, dois quais sou integrante, para desenvolver atividades de leitura e escrita. Por fim, encerro informando que, em março, está prevista a inauguração do novo Atelier do Bonde na Adesbam e, desde já, sinta-se mais do que convidada.


Sobre @ colunista

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



2 Responses to Bonde da Otto Niemeyer se muda para a Adesbam

  1. Agradeço ao Jornal Meu Bairro pela reportagem sobre o Bonde. Espero poder retribuir a gentileza ajudando a distribuir cada vez mais cultura ao nosso bairro, atividade que esse jornal faz de forma tão valorosa. Muito obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Início ↑
  • Anúncio Google

  • pequena
  • Anúncio Google

  • pequena