fbpx


Sem categoria

Publicado em maio 9th, 2019 | Por Redação Meu Bairro

4

Grupo Escoteiros do Brasil se posiciona sobre prisão de ex-escotista

O Escoteiros do Brasil (Região Rio Grande do Sul) emitiu uma nota hoje à tarde sobre a prisão de um ex-escotista condenado por estupro de vulnerável. O movimento salienta que o homem preso não faz mais parte dos escoteiros pois foi expulso.  “Ressaltamos assim, a todos que interessar, que o adulto envolvido nas notícias não faz parte deste movimento, desde a denúncia do caso. Assumimos um compromisso com a sociedade de assegurar um ambiente escoteiro seguro para as práticas de suas atividades educacionais. Alinhado ao Estatuto da Criança e do Adolescente que estabelece que é dever de todos prevenir a ocorrência de ameaça ou violação dos direitos da criança e do adolescente.”.

Também ressaltam que desde novembro de 2013 os Escoteiros do Brasil possuem uma Política Nacional de Proteção Infantojuvenil com o objetivo de prevenir possíveis casos de abuso e violência durante as atividades. “Todo adulto voluntário no movimento escoteiro realiza obrigatoriamente um curso de ‘Proteção Infantojuvenil’ para a inclusão ou renovação de registro para a prática do escotismo, além disso, é importante mencionar que todos os adultos ao ingressarem no movimento escoteiro devem apresentar os seguintes documentos: Certidão negativa de antecedentes criminais; Ficha de antecedentes criminais emitida pela Polícia Civil do estado; Certidão negativa de antecedentes criminais emitida pela Justiça Federal da Região.”, explica.

Para os escoteiros essa polícia de proteção serve para orientar todos os voluntários adultos que atuam ou atuarão no Movimento Escoteiro, sobre os procedimentos corretos de como prevenir ou agir diante de situações de maus-tratos e abusos envolvendo crianças, jovens e adultos. “Esta preparação é pré-requisito para a associação do voluntário, além disso são realizadas oficinas e palestras sobre este tema em cursos de capacitação.”.

As famílias que decidem participar do movimento também recebem uma Cartilha sobre Proteção da Criança e do adolescente. No material são apresentadas orientações aos pais sobre proteção e prevenção de abusos. “Entendemos como sendo de fundamental importância a capacitação de nossos voluntários para evitar, reconhecer e também tomar as devidas providências diante de situações de abusos e maus tratos.”, salienta.

Para finalizar, o grupo se coloca à disposição para sanar qualquer dúvida sobre a forma de ingresso e conduta de todos voluntários a integrar um grupo escoteiro e também de qualquer pai, mãe ou responsável que saiba de alguma informação, seja deste caso ou de qualquer outro, para que tomemos as medidas Judiciais e Administrativas.

Confira a Nota na íntegra:

“Os Escoteiros do Brasil – Região Rio Grande do Sul sabendo sobre as notícias publicadas na data de 9 de maio, o qual envolve um ex-voluntário do movimento escoteiro salienta que o Escotismo é um movimento educacional que, só no Brasil, conta com mais de 100 mil integrantes e por mais de 100 anos trabalha para contribuir com a juventude no pleno desenvolvimento de suas potencialidades, assumindo um compromisso com a sociedade de assegurar um ambiente seguro para a prática de atividades educacionais.

Desde novembro de 2013 os Escoteiros do Brasil possuem uma Política Nacional de Proteção Infantojuvenil com o objetivo de prevenir possíveis casos de abuso e violência durante as atividades. Todo adulto voluntário no movimento escoteiro realiza obrigatoriamente um curso de “Proteção Infantojuvenil” para a inclusão ou renovação de registro para a prática do escotismo, além disso, é importante mencionar que todos os adultos ao ingressarem no movimento escoteiro devem apresentar os seguintes documentos: Certidão negativa de antecedentes criminais; Ficha de antecedentes criminais emitida pela Polícia Civil do estado; Certidão negativa de antecedentes criminais emitida pela Justiça Federal da Região.

A política de proteção tem como objetivo orientar todos os voluntários adultos que atuam ou atuarão no Movimento Escoteiro, sobre os procedimentos corretos de como prevenir ou agir diante de situações de maus-tratos e abusos envolvendo crianças, jovens e adultos. Esta preparação é pré-requisito para a associação do voluntário, além disso são realizadas oficinas e palestras sobre este tema em cursos de capacitação.

Todas as as famílias quando realizam o registro dentro no movimento escoteiro recebem a Cartilha sobre Proteção da Criança e do adolescente, neste material temos orientações aos pais sobre proteção e prevenção de abusos. Entendemos como sendo de fundamental importância a capacitação de nossos voluntários para evitar, reconhecer e também tomar as devidas providências diante de situações de abusos e maus tratos.

Estamos abertos para sanar qualquer dúvida sobre a forma de ingresso e conduta de todos voluntários a integrar um grupo escoteiro. Reafirmando que estamos a disposição de qualquer pai, mãe ou responsável que saiba de alguma informação, seja deste caso ou de qualquer outro, para que tomemos as medidas Judiciais e Administrativas.

Ressaltamos assim, a todos que interessar, que o adulto envolvido nas notícias não faz parte deste movimento, desde a denúncia do caso. Assumimos um compromisso com a sociedade de assegurar um ambiente escoteiro seguro para as práticas de suas atividades educacionais. Alinhado ao Estatuto da Criança e do Adolescente que estabelece que é dever de todos prevenir a ocorrência de ameaça ou violação dos direitos da criança e do adolescente.”


Sobre o autor

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



4 Responses to Grupo Escoteiros do Brasil se posiciona sobre prisão de ex-escotista

  1. Que horror, as pessoas tevem respeitar todos de formar, para mim este pessoas tem que pagar pelo que fez.

  2. maristela moreira says:

    Bom dia!!!! Eu sou admiradora dos grupos de escotismo e posso afirmar com muita firmeza *atividades desenvolvidas de grande valia para o crescimento intelectual e social de nossos jovens* a questão de maus tratos ,abusos etc infelizmente ocorrem em todo as áreas sejam elas religiosas,educacionais,saúde enfim… o que devemos fazer é ficarmos atentos com todos os procedimentos zelando pelo bem estar e segurança de todos . Infelizmente não vem escrito na testa de certos indivíduos Sou maníaco sexual,sou bandido, sou assassino etc… Triste demais que certos indivíduos conseguem estragar com a boa reputação de pessoas de bem e de grupos que se empenham de tal forma para o bem comum de todos os envolvidos visando o crescimento e desenvolvimento exemplar de nossos jovens..
    Lamentável que esses monstros conseguem cegar a todos ludibriando nossas crianças e jovens .aproveito esse espaço para agradecer e enaltecer a todos os chefes e demais envolvidos nos grupos escoteiros espalhados por nosso amado Brasil que voluntariamente vem desenvolvendo junto as nossas crianças e jovens atividades de grande valia tanto que difícil descrever. Parabenizo a todos por tamanha dedicação. Que esse fato não atinja a nenhuma pessoa do bem. Continuem firmes nesse belíssimo propósito . Estarei em orações para que esse ocorrido fique no passado . Com carinho. Maristela

  3. Calico says:

    Isso é muito triste, infelizmente estamos alheios à essas atitudes, em todos os seguimentos podem acontecer algo que disvirtua a credibilidade , temos que acredita em DEUS

  4. Raimundo says:

    Bom dia, cempre alerta, fui escolteiro, no estado da Bahia, cidade Salvador, tenho certeza que já mais o grupo escotismo vai aceitar qualquer tipo de conduta, dessa ou outra que venha, denegrir, a imagem, dos escolteiros do Brasil, nós somos contra. Por isso essa pessoa deve, pagar perante há Justiça, se realmente essa pessoa errou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Volta para o início ↑