fbpx


Trânsito

Publicado em abril 22nd, 2019 | Por Redação Meu Bairro

0

Prefeitura descobre esquema de falsificação de exames toxicológicos de taxistas

A Prefeitura acaba de confirmar que descobriu um esquema de falsificação de laudos dos exames toxicológicos de taxistas. A informação é da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) que explica que desde que o exame passou a ser obrigatório para condutores com a publicação da Lei 12.420/18, aprovada na Câmara de Vereadores em julho de 2018 estava acompanhando os casos. O prazo final para entrega do laudo foi 21 de dezembro do ano passado. A atualização teve como objetivo a segurança e a qualificação do serviço de táxi na Capital.

Foram identificadas suspeitas de adulterações em 101 laudos, 1,6% dos 6175 entregues até o momento. O material foi encaminhado ao Ministério Público para investigação. “Na Capital, não identificamos o envolvimento dos laboratórios ou postos de coleta até o momento. A partir de um exame verdadeiro, negativo para o uso de drogas, foram alterados os nomes e criados laudos falsos, entregues na Coordenação de Cadastro de Operadores (CCO) da EPTC, responsável pelo recebimento dos exames. É uma adulteração grotesca, que chamou atenção pela audácia e pela certeza de que não haveria conferência”, destaca o coordenador da CCO, Filipe Fraga Sias. Para cada adulteração, será aberto um processo administrativo. Todos os laudos entregues serão conferidos junto aos laboratórios e, então, o número pode crescer.

Alguns condutores apresentaram exames com o resultado positivo para algumas substâncias. São duas situações diferentes que não preenchem o pré-requisito da nova Lei Geral dos Táxis: o resultado positivo e a falsificação. “O resultado positivo para o consumo de substâncias ilícitas pode resultar em suspensão da licença, a Identidade de Condutor do Transporte Público (ICTP). Para falsificação, a legislação prevê até a exclusão definitiva do sistema”, explica o diretor-presidente da EPTC, Fabio Berwanger Juliano. A descoberta do esquema fortalece a iniciativa da prefeitura de solicitar o exame para deixar na lista de condutores apenas motoristas aptos para prestar o serviço, ressalta Juliano.


Sobre o autor

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Volta para o início ↑