fbpx


Trânsito

Publicado em dezembro 18th, 2018 | Por Redação Meu Bairro

0

ATL surpreende e pede redução da tarifa de lotações em Porto Alegre

A Associação dos Transportadores de Lotações (ATL) surpreendeu hoje pela manhã no encontro da Comissão de Urbanismo, Transporte e Habitação (Cuthab) desta manhã. Em reunião na Câmara Municipal de Porto Alegre os representantes das lotações pediram, por meio de uma minuta de projeto de lei, a solicitação para que as passagens do modal seletivo possam ter o valor reduzido para os usuários.

De acordo com o presidente da entidade, Magnus Isse, o setor sofre perdas de passageiros, principalmente a partir da concorrência “desleal” do transporte por aplicativos. “Isso se agrava com a forma como a tarifa é definida, pela lei 9.229/2002, que a vincula ao modal do transporte coletivo. Os transportadores entendem que é possível reduzir para 1,2 vezes o índice aplicado sobre a tarifa dos ônibus. Pela legislação vigente desde 2003, o valor da passagem das lotações está vinculado à tarifa dos ônibus por meio de um índice que corresponde entre 1,4 e 1,5 vezes a passagem dos coletivos da Capital. Para os operadores do sistema, isso tem provocado um distanciamento dos passageiros e perdas que já levaram à devolução de linhas ao Executivo.

Magnus Isse, presidente da ATL

Outro ponto utilizado como justificativa para que haja a redução da tarifa do transporte seletivo é o de que, por força de impedimento da lei federal, ele não pode receber o incentivo de isenção do ISS, como ocorre com as empresas de ônibus. “É mais um motivo para que esse pedido dos permissionários seja considerado”, disse Roberto Machado da Silva, ex-presidente da ATL, que também participou do debate.

Presente ao encontro, o presidente da EPTC Marcelo Soletti louvou a iniciativa do debate, “inverso ao que tradicionalmente ocorre nos demais modais (ônibus e táxis), que é para o aumento de tarifa”. Disse, no entanto, que antes é preciso que o corpo técnico do órgão faça uma análise técnica sobre os aspectos da sustentabilidade econômica e financeira da medida para que o sistema não sofra prejuízos futuros. “Vamos fazer um estudo da minuta e levar ao prefeito”, comprometeu-se.

Sobre os aplicativos, o procurador-geral adjunto do município, Carlos Eduardo da Silveira, afirmou que há uma decisão liminar do judiciário que impede a aplicação da lei aprovada pelos vereadores e que regra esse tipo de transporte individual de passageiros. Já Fabrício Dameda, assessor da Secretaria Municipal da Fazenda, disse que não é possível dar a isenção do ISS aos seletivos por impedimento da legislação federal, que abriu esse precedente “exclusivamente” para o transporte coletivo.


Sobre o autor

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Volta para o início ↑