fbpx


Segurança

Publicado em abril 24th, 2019 | Por Redação Meu Bairro

0

Denarc encontra laboratório clandestino de mineração de criptomoedas no bairro Cascata

O Departamento de Investigações do Narcotráfico (Denarc) da Polícia Civil deflagrou, nesta terça-feira 23, uma ação de combate ao trafico de drogas e lavagem de dinheiro no Bairro Cascata, na Capital. Os policiais contudo encontraram além disso laboratório clandestino de mineração de criptomoedas que, segundo eles, tem indícios de atuação a serviço do narcotráfico.

Segundo a Delegacia de Repressão à Lavagem de Dinheiro, que atuou na ação, verificou-se indícios que a atividade ali realizada estaria vinculada à lavagem de dinheiro, mediante a integração de capital oriundo da mercancia de drogas e/ou pagamento de distribuidores de entorpecentes mediante moedas virtuais, podendo inclusive envolver transações internacionais.

Os hardwares e softwares apreendidos giram em torno de R$ 150 mil, bem como segundo os Delegados que participaram da ação, a atividade de mineração ali realizada pode movimentar em torno de R$ 500 mil.

Onde funcionava o laboratório, um homem que estava sendo investigado por tráfico de drogas foi preso com uma motocicleta roubada e clonada. Logo após, em sua residência, os policiais apreenderam uma pistola de calibre .40, de uso restrito, com numeração raspada.

Segundo o Diretor-Geral do Denarc, Wladimir Urach, a ação evidencia a necessidade de as forças policiais atuarem de maneira especializada, diante de novas tecnologias que facilitam a expansão do crime organizado.

O proprietário do laboratório clandestino identificado pela Policia Civil acabou sendo autuado pelo crime de furto de energia elétrica, sendo que os equipamentos foram apreendidos para a perícia de informática junto ao Instituto Geral de Perícias, o qual também participou da ação.


Sobre o autor

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Volta para o início ↑