Uma reunião hoje pela manhã na Câmara Municipal de Porto Alegre t..." /> Servidores acusam secretario de "assédio moral" na Câmara - Portal Meu Bairro


Saúde

Publicado em 3 de setembro de 2013 | Por Redação Meu Bairro

Servidores acusam secretario de “assédio moral” na Câmara

Uma reunião hoje pela manhã na Câmara Municipal de Porto Alegre trouxe a tona uma série de reclamações dos servidores de saúde de Porto Alegre. Eles denunciaram casos de assédio moral, falhas na administração e mais uma série de problemas de gestão da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A pauta da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam) foi apresentada pelo Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa).

Carmem Padilha: “Colegas que fazem o mesmo serviço e recebem, mas outros, não.”

De acordo com a diretora-geral Carmen Padilha, a SMS lidera o ranking de assédio moral dentro da prefeitura. Ela acusa ainda o secretário Carlos Casartelli como o “campeão do assédio moral”. “É na SMS onde temos mais casos de desrespeito. Depois vem a Secretaria de Educação e o Dmae (Departamento Municipal de Água e Esgoto)”, disse.

Os servidores reclamaram ainda que a carga horária dos trabalhadores do Hospital de Pronto Socorro (HPS) tem arbitrariedades. Eles explicam que a folha foi unificada arbitrariamente e também imposta aos trabalhadores uma carga horária impossível de ser cumprida. Salienta, ainda, que o direito à folga garantido na legislação municipal, não está sendo cumprido.

Dois elevadores funcionando e muitas reclamações contra o secretário

Além de dificuldades na situação pessoal, a estrutura também precisa de melhorias. De acordo com Humberto Ribeiro, servidor do HPS, apenas dois elevadores estão funcionando, dos seis que existem no hospital. Também falou da existência de “ratos do tamanho de gatos” que circulam no pátio. “Trabalhamos em um ambiente contaminado, e o secretário diz que o grau de insalubridade deve ser mínimo.”

O diretor-administrativo do Simpa, João Ezequiel, lembrou que o secretário da Saúde retirou a insalubridade dos servidores porque não há legislação municipal que trate do tema. “A carga horária também não é regulamentada.” E apontou a falta de funcionários como outro problema. “Tinha sido acertado que a prefeitura enviaria um projeto para criar 106 vagas para técnico de enfermagem. Infelizmente, já vamos para dois meses da última reunião com o governo, e até agora o projeto não chegou ainda na Câmara.”

Servidores questionam ausência de secretário à reunião

Falando em nome da SMS, Lívia de Almeida informou que o secretário Casartelli não se fez presente porque tinha outra agenda. “As questões trazidas aqui serão levadas, mas alguns retornos não dependem apenas da SMS ou da SMA, pois envolvem outros setores da prefeitura”, alegou.

Servidores da Secretaria que estavam no plenário disseram ter visto Casartelli na cafeteria da Câmara. A presença dele no prédio do Legislativo foi confirmada pela vereadora Fernanda Melchionna


Sobre o autor

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



Volta para o início ↑