fbpx


Saúde

Publicado em 11 de abril de 2019 | Por Redação Meu Bairro

0

Moradores e Simers identificam falta de médicos nos postos de saúde

Hoje pela manhã nossa redação recebeu um áudio por volta das 8h de um morador da Cohab, na Zona Sul de Porto Alegre. “Posto de Saúde na Cohab Cavalhada está sem médico. Não tem médico nenhum.”.O relato seguiu contando que muitas pessoas estavam na fila de atendimento esperando, mas sem saber se iriam ser atendidas. “Um monte de gente na fila de atendimento e não tem médico. Simplesmente mandaram todo mundo embora e vão ficar com o posto aberto, sem médico. Mandaram a gente ligar no 156 para reclamar.”, finalizou.

Nossa redação então entrou em contato com a Secretaria Municipal da Saúde, mas não obteve retorno até o momento.

À tarde recebemos a nota do Simers que diz que o Pronto Atendimento Bom Jesus (PABJ) ficou com número insuficiente de médicos na madrugada desta quinta-feira, 11, conforme verificado pelo Simers. “Na recepção, um cartaz informava a restrição dos serviços. A falta de profissionais ocorreu após o encerramento, à meia-noite, do contrato com a empresa responsável pela contratação de parte dos médicos que atuam na unidade.”, explica.

Para o Simers, além de não assegurar a assistência, a gestão municipal desrespeitou a categoria ao afirmar que “o órgão municipal conta com oito médicos estatutários, que poderiam assumir a escala de transição, mas, ao serem chamados, se recusaram a auxiliar”. O Simers disse, em nota, que a acusação é inverídica e grave. “Existem profissionais que se dedicam ao Bom Jesus há décadas e querem manter suas atividades e o atendimento aos seus pacientes. Os colegas estão apreensivos diante de tanta intransigência por parte da prefeitura. O prejuízo é para todos, servidores e população”, disse o presidente do Simers, Marcelo Matias.

Além do PABJ, o Pronto Atendimento Lomba do Pinheiro e o Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas (HMIPV) também podem ser administrados por terceirizadas, conforme as propostas do governo Marchezan. “O que aconteceu esta madrugada na Bom Jesus é uma prévia do que vai acontecer quando as unidades de saúde de Porto Alegre forem terceirizadas”, atenta Matias.


Sobre o autor

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Volta para o início ↑