Se hoje, para um experimento, te pedissem para colocar em seu corpo ..." /> Duas mil pessoas já visitaram cigarro gigante no Centro - Portal Meu Bairro


Saúde

Publicado em 30 de agosto de 2013 | Por Redação Meu Bairro

Duas mil pessoas já visitaram cigarro gigante no Centro

Se hoje, para um experimento, te pedissem para colocar em seu corpo 4720 substâncias tóxicas, incluindo acetona, monóxido de carbono e arsênico, você aceitaria? Esses componentes estão apenas na fumaça do cigarro. Dados como esse estão sendo divulgados essa semana em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Fumo. Em Porto Alegre, quem passa pelo Largo Glênio Peres, no Centro Histórico da Capital, pode participar até domingo de uma experiência sensorial sobre os perigos do cigarro. A instalação, de 15 metros de comprimento, faz parte das atividades organizadas pela Secretaria Municipal da Saúde para chamar a atenção dos danos causados pelo tabaco. Até a manhã desta sexta-feira, mais de 2 mil pessoas já haviam feito a descoberta. O cigarro gigante fica no local até amanhã, sábado, 31,

O trajeto dura poucos minutos, mas é percorrido com atenção. Entram grupos de cinco em cinco pessoas conduzidos por uma orientadora. A experiência estimula os sentidos por meio de odores, sons, iluminação, música, cores, gelo seco, tecidos e objetos diversos. Até sábado, 31, a população poderá vivenciar a experiência inusitada, das 9h30 às 18h30, e receber orientações dos técnicos da SMS sobre como abandonar esse vício.

Uso do cigarro está diminuindo

 A boa notícia é que, no Brasil, o número de fumantes é cada vez menor. Segundo o Ministério da Saúde, de 2006 a 2011, o percentual de fumantes passou de 16,2% para 14,8%. No início dos anos 90, 35% da população brasileira com mais de 15 anos era fumante.

Dentre as medidas que contribuíram para essa redução, de acordo com o Ministério, estão a proibição da veiculação de publicidade durante determinado horário, de adição de substâncias que alterem o sabor dos cigarros e produtos derivados do tabaco, da existência de fumódromos, aumento de alíquota e impostos sobre o produto, entre outras.

Cigarro ainda é principal causa de morte evitável

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. De acordo com levantamento da Aliança de Controle do Tabagismo, o Brasil gasta R$ 21 bilhões com tratamento de doenças relacionadas ao tabaco. O valor equivale a 30% do orçamento do Ministério da Saúde em 2011. O estudo demonstra, ainda, que o tabagismo é responsável por 13% das mortes no país. São 350 mortes por dia.

A Organização Mundial de Saúde aponta que o uso do cigarro mata metade dos seus consumidores habituais e ainda que a cada três pessoas que tem aneurisma cerebral, duas fumam.


Sobre o autor

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



Volta para o início ↑