fbpx


Belém Novo

Publicado em janeiro 14th, 2019 | Por Juliana de Brites

0

Arado Empreendimentos nega participação em ataque e moradores protestam pela segurança dos índios

Após atentado contra tribo indígena que vive na Ponta do Arado, a Arado Empreedimentos Imobiliários negou envolvimento no caso. Em nota emitida no último sábado, 12, a empresa afirma que está buscando informações sobre o fato e se efetivamente o ataque ocorreu. Ainda de acordo com a empresa, os funcionários da Fazenda não teriam ouvido nenhum som anormal na madrugada de sexta-feira.

Os índios Mbya Guarani que vivem na Ponta do Arado denunciaram ataque a tiros na última sexta-feira, 11. De acordo com o cacique Timóteo Karay Mirim, dois homens encapuzados chegaram ao acampamento por volta das 3h e efetuaram disparos para cima. Segundo o líder índigena, a tribo foi ameaçada a deixar o local até domingo. De acordo com a Polícia Civil, a principal suspeita é que o ataque tenha sido motivado pelos desentendimentos em torno da ocupação da área e construção de um condomínio de alto padrão.

A denúncia foi registrada na 7ª Delegacia de Polícia Civil. Dois agentes foram deslocados até o local do atentado, onde encontraram cápsulas de munição 9 mm e calibre 22. O material será enviado para a perícia.

No domingo, 13, aconteceu a Vigília em Apoio aos Mbya Guarani, na praça central de Belém Novo. Pelo menos cem pessoas participaram do ato em proteção aos indígenas.

 

Leia na íntegra a nota emitida pela Arado Empreendimentos Imobiliários:

“Na manhã desta sexta-feira (11), chegou ao nosso conhecimento, pela imprensa e mídias sociais, um suposto incidente envolvendo a comunidade indígena que invadiu a Fazenda do Arado.

Nunca tivemos e nunca teremos qualquer iniciativa nos moldes do que está sendo divulgado. Pelo contrário, ao longo deste processo, iniciado em junho de 2018, e não obstante as investidas contrárias de cunho nitidamente ideológico e político, estamos buscando exercer nossos direitos na Justiça e sempre nos limites da legalidade. Assim seguiremos.

Estamos buscando informações acerca do que possa ter ocorrido e se efetivamente ocorreu, registrando que os funcionários da Fazenda não ouviram qualquer barulho anormal durante a noite.

Por ser proprietária da área e ofendida diante da invasão ilegal que está em curso, a empresa é a maior interessada na elucidação dos fatos e na verificação acerca de efetivamente ter ocorrido algum incidente análogo ao que vem sendo divulgado.

Arado Empreendimentos Imobiliários LTDA”

 

Leia mais:

Guaranis denunciam ataque a tiros na madrugada desta quinta-feira, na Zona Sul


Sobre o autor

é jornalista formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Contato: juliana@meubairropoa.com



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Volta para o início ↑