fbpx


Cidade Baixa

Publicado em março 7th, 2019 | Por Redação Meu Bairro

0

Marchezan avalia positivamente Carnaval na Cidade Baixa

O prefeito Nelson Marchezan Júnior reuniu a equipe que esteve à frente da organização do Carnaval de Rua de Porto Alegre para uma avaliação dos eventos. Cerca de 65 mil pessoas foram para a Cidade Baixa no sábado e na terça-feira, dias 2 e 5 de março, sem nenhum conflito ou ocorrência de vulto durante o evento organizado pela empresa Impacto Vento Norte Produções Técnicas, vencedora da licitação da prefeitura. A empresa ficou responsável por toda a infraestrutura do evento, realizando a lavagem das ruas por onde os blocos passaram e recolhendo os resíduos gerados. Essa foi a primeira vez que a prefeitura lançou um edital com regras, caderno de encargos e realizou um pregão eletrônico para a promoção do carnaval que segue até o dia 24 de março. “Tivemos um Carnaval de Rua de qualidade, organizado e seguro”, afirma Marchezan.
O prefeito salientou que o edital devolveu à capital gaúcha a possibilidade de realização de um Carnaval estruturado. “Uma das contrapartidas previstas no edital, a nosso pedido, foi a realização do Carnaval Comunitário em oito bairros decentralizados. As comunidades não realizavam a festa havia dois anos”, ressalta Marchezan. O primeiro evento, no Morro Santana, atraiu 1,5 mil pessoas. Outros sete eventos descentralizados ainda ocorrem no mês de março, no bairro Cruzeiro, Eixo Baltazar, nas Ilhas, Glória, Restinga, Extremo Sul e Cristal.
Dos 26 blocos selecionados para o Carnaval de Rua de Porto Alegre, cinco já se apresentaram na Cidade Baixa (dias 2 e 5) e na Orla do Guaíba (dia 23 de fevereiro), este com público de 15 mil pessoas. Outros 20 blocos ainda irão se apresentar em sete eventos na Cidade Baixa (9 e 10 de março), na Orla (16, 17, 23 e 24 de março) e no Centro Histórico (descida da Borges, no dia 16 de março). Um dos blocos desistiu da festa.
Marchezan fez questão de agradecer a todos os servidores públicos que trabalham nesses dias de festa, assim como a dedicação da Guarda Municipal, EPTC, Brigada Militar e todas as secretarias envolvidas (Cultura, Serviços Urbanos, Desenvolvimento Econômico, Saúde, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Relações Internacionais e Comunicação). “O objetivo inicial foi integralmente cumprido: realizamos eventos de qualidade, organizados, e seguros para todos os participantes”, elogia o prefeito.
Problemas – Sobre os conflitos que ocorreram na Cidade Baixa – corretamente combatidos pela Brigada Militar, na opinião unânime do governo municipal – o prefeito disse que eles não aconteceram durante a passagem dos blocos, nem tiveram a participação de seus integrantes. “Os blocos e a empresa organizadora do evento são heróis. Não tiveram nenhuma relação com qualquer ocorrência negativa registrada nestes dias”, ressalta Marchezan.
Segundo o secretário-adjunto da Secretaria da Cultura, Leonardo Maricato, “a confusão foi gerada por pessoas mal intencionadas”. Maricato lembrou que datas do Carnaval de Rua na Cidade Baixa foram estipuladas em um acordo envolvendo a prefeitura e o Ministério Público, com o aval da associação de moradores do bairro, da associação de comerciantes e pela Liga das Entidades Burlescas da Cidade Baixa. “O edital foi lançado somente após este acordo, o que diminuiu o prazo para captação de recursos junto à inciativa privada pelos blocos e pela empresa vencedora da licitação”, recorda, acrescentando que “se houvesse mais tempo, teria sido possível aumentar a oferta de atrações na cidade, como na Orla do Guaíba, por exemplo”.


Sobre o autor

é composta por por cinco profissionais de comunicação. Formados em jornalismo e relações públicas, produzem matérias referentes a zona Sul de Porto Alegre e também de interesse desse público. Contato com a editora, Letícia Mellos. Jornalista formada pela Unijuí - RS



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Volta para o início ↑